LIXO RADIOATIVO DA INB PODE AFETAR ANDRADAS, POÇOS E CALDAS

ENTREVISTA COM DEPUTADO DALMO SOBRE O CASO INB EM CALDAS

0
89

Em 9 de abril de 2011 o site Studio46 noticiou sobre a a INB (indústrias Nucleares do Brasil) que volta a preocupar a região. Em 1995, a INB da cidade de Caldas, MG, foi desativada. No local é guardado dejetos radioativos, O Deputado Dalmo Ribeiro( PSDB) protocolou uma audiência pública para discutir o assunto: “Minha preocupação surgiu ha 11 anos, fizemos aqui na assembléia legislativa em março de 2000 a primeira audiência para debater esta questão, trouxemos aqui representantes da INB e ministério publico, a 11 anos fizemos esta audiência e lamentavelmente nada foi cumprido”, afirmou o deputado. A audiência pública acontece nesta terça-feira dia 12 de abril em Caldas.

O deputado, protocolou na Assembléia legislativa(ALMG), dia 7 de fevereiro, uma audiência pública para discutir o assunto, o requerimento, pede audiência pública em conjunto com a Comissão de meio Ambiente e da Comissão de Minas e Energia. Segundo o deputado que falta é a criação de uma comissão de inquérito.

A situação na zona rural de Caldas é complicada, aproximadamente 11 mil toneladas de torta 2(concentrado de urânio e tório) e milhares de toneladas vindas de Santo Amaro(SP), são guardados naquele local. O Juiz Edson Zampar Jr. , da comarca, concedeu liminar, obrigando a INB, a tomar medidas de segurança para a unidade desativada da INB. O site Studio 46, conversou com o Deputado Dalmo Ribeiro sobre esse assunto. Segue abaixo a entrevista completa:

Elias – Quando surgiu a preocupação com a INB ( Industrias Nucleares do Brasil)?

Dalmo – Minha preocupação surgiu a 11 anos, fizemos aqui na assembléia legislativa em março de 2000 a primeira audiência para debater esta questão, trouxemos aqui representantes da INB, ministério publico, a 11 anos fizemos esta audiência e lamentavelmente nada foi cumprido, razão pela qual me motivou a apresentação de um requerimento junto a comissão de meio ambiente e minas e energia, buscando a realização desta audiência, além do mais estou com intensa vontade para uma visita técnica em Caldas na INB.

Confesso que precisamos conhecer muito de perto este assunto que deixa a população preocupada, iremos convocar a imprensa e pessoas envolvidas, a 11 anos estamos buscando esta solução.

Elias – Nossa região tem se tornado um lixão radioativo, a 11 anos, quando aconteceu a audiência pública, foi verificado irregularidades?

Dalmo- Naquela época não, foi apresentado tecnicamente informações da INB, mas eu não estou satisfeito eu quero uma visita, a assembléia solicitará especialistas nestas áreas, somente assim poderemos nos tranquilizar.

É uma questão de segurança a toda comunidade, hoje nós estamos vendo que a saúde pública esta em primeiro lugar, é problema de câncer de pele, essa preocupação toda. Eu quero parabenizar o ministério público da comarca de caldas pela iniciativa.

É um momento da população da região saber se existe problema? se existe perigo? Queremos ouvir os responsáveis pela INB, para isto vamos contar com a Câmara Municipal de Caldas.

Elias – Esta visita técnica deve acontecer dentro de quanto tempo?

Queremos que seja feita em caráter urgentíssimo, mas nós ainda não estamos com as comissões formatadas, assim que estiverem devidamente formatadas teremos a primeira visita da assembléia. As indagações tem que ser esclarecidas.

A audiência acontece nesta terça-feira, dia 12 de abril com a presença de autoridades e representantes da INB, vindos do Rio de Janeiro.

HUGO CAMACHO PREFEITO DE CALDAS PREOCUPADO COM O TURISMO DA CIDADE

Em entrevista para nossa reportagem o Prefeito de Caldas da época Hugo Camacho, disse estar preocupado com a repercussão para o turismo da cidade, pois recentemente uma equipe do fantástico da Rede Globo, esteve na cidade para relatar o caso, a recente exposição sobre a situação do lixo radioativo naquela localidade pode afugentar os turistas, afirma o prefeito que se diz preocupado.

 

COMENTE

Por favor digite o seu comentário
Por favor informe o seu nome