Panorama Financeiro da Fórmula 1 em 2023: Quanto ganha cada equipe?

0
403

O campeonato de Formula 1 chegou ao fim. No emocionante universo da velocidade, onde dinheiro, tecnologia e estratégia se entrelaçam em cada curva, os números por trás do glamour e da competição acirrada também contam uma história intrigante. Para o ano de 2023, as projeções financeiras da categoria prometem cifras impressionantes, destacando não apenas o valor total esperado para a F1, mas também as premiações destinadas às equipes que batalham nas pistas ao redor do mundo.

Receitas Totais da F1 em 2023

As estimativas para as receitas totais da Fórmula 1 em 2023 variam, mas todas indicam uma marca bilionária. Segundo as previsões, os ganhos podem oscilar entre US$ 1,25 bilhão (R$ 6,1 bilhões na cotação do dia) e US$ 1,3 bilhão (R$ 6,3 bilhões). Intrigantemente, a estimativa da renomada revista Autosport fica um pouco abaixo, fixando-se em R$ 1 bilhão (R$ 4,91 bilhões).

Premiações das Equipes de Elite

  1. Red Bull (860 pontos): A equipe liderada pela energia e ousadia está prevista para receber vultosos US$ 140 milhões (R$ 687 milhões). Um investimento que reflete não apenas a performance nas pistas, mas também o valor de mercado que a Red Bull construiu ao longo dos anos.
  2. Mercedes (409pts): A equipe alemã, sinônimo de inovação e tradição, está na segunda posição com estimados US$ 131 milhões (R$ 643 milhões). Um reconhecimento financeiro para uma equipe que se destaca não apenas pela velocidade, mas pela consistência ao longo das temporadas.
  3. Ferrari (406pts): A lendária escuderia italiana, que evoca paixão e história, está cotada para receber US$ 122 milhões (R$ 599 milhões). Um investimento que ecoa não apenas o presente, mas a aura única que a Ferrari carrega na F1. Além deste valor a Ferrari recebe um bônus por ser a equipe mais antiga da categoria, que ainda compete.
  4. McLaren (302): Com uma projeção de US$ 113 milhões (R$ 554 milhões), a McLaren mostra que a busca incessante por inovação e excelência pode se traduzir em ganhos sólidos.
  5. Aston Martin (280): A equipe britânica, até começou bem sendo a segunda força da F1, mas terminou com esta premiação de quinto lugar. Deve receber US$ 104 milhões (R$ 510 milhões), destacando a força da marca na competição, comecou bem, .

O Cenário da Classe Média da F1

A Alpine com 120 pts, ocupando a confortável sexta posição no Mundial de Construtores, está prevista para receber cerca de US$ 95 milhões (R$ 466 milhões). Empurrada pelos euros da Renaut é a força da França na F1.

Disputa nas Últimas Posições

As premiações para essas posições são significativas: US$ 87 milhões (R$ 497 milhões) para o sétimo (Willians 28pts), US$ 78 milhões (R$ 382 milhões) para o oitavo (AuphaTauri) que deve ser denominada de Racing Bulls em 2024, US$ 69 milhões (R$ 338 milhões) para o nono (Alfa Romeo), que volta a se chamar Sauber em 24 e US$ 60 milhões (R$ 294 milhões) para o décimo a pobre Haas que chegou a apenas 12 pontos.

Em resumo, além da emoção nas pistas, a Fórmula 1 de 2023 teve uma trama financeira fascinante, onde cada curva representou não apenas um desafio esportivo, mas também uma oportunidade de sucesso econômico para as equipes que aceleram rumo à glória. Esta matéria foi feita com dados da revista Autosport e site GP Grande Prêmio.

COMENTE

Por favor digite o seu comentário
Por favor informe o seu nome

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.