Cruzeiro e Palmeiras em situações bem diferentes na Libertadores

0
104

Cruzeiro e Palmeiras em situações bem diferentes na Libertadores

Cruzeiro é prejudicado por erro de árbitro em consulta a VAR e cai por 2 a 0 para o Boca Juniors na Copa Libertadores

O Cruzeiro não suportou a pressão do ‘caldeirão’ da Bombonera e acabou derrotado pelo Boca Juniors por 2 a 0, nesta quarta-feira, pelo jogo de ida das quartas de final da Copa Libertadores. Além de apresentar futebol burocrático e sem tanta força ofensiva, o time celeste foi bastante prejudicado pela arbitragem. O paraguaio Eber Aquino, responsável pelo apito, expulsou Dedé injustamente em função de um lance acidental envolvendo o defensor cruzeirense e o goleiro argentino Andrada. Curiosamente, o juiz consultou o recurso de vídeo (VAR) para confirmar a decisão, tomada aos 29min do segundo tempo, depois de o camisa 1 do Boca receber atendimento médico. Mesmo com as imagens mostrando que Dedé visava apenas a bola quando atingiu o rosto de Andrada, Aquino não titubeou ao dar vermelho, respaldado pelo árbitro de vídeo Mario Diaz de Vivar. O clube xeneize, que abriu o placar com Zárate, aos 35min do primeiro tempo, viu caminho livre para marcar o segundo, aos 36min da etapa final, em finalização de Pablo Pérez. Nesse lance, o lateral-direito Edilson falhou ao tentar cortar o cruzamento de Jara.

Agora, o Cruzeiro terá uma tarefa muito difícil no confronto de volta, marcado para quinta-feira, 4 de outubro, às 21h45, no Mineirão. Em função do revés por 2 a 0 na Bombonera, será obrigado a vencer por três gols de diferença para garantir a classificação no tempo normal. Se a Raposa triunfar por 2 a 0, a definição de quem avançará à semifinal ocorrerá nos pênaltis. Por sua vez, o Boca poderá perder até por dois gols de diferença, desde que marque ao menos uma vez. Isso porque na Copa Libertadores existe o regulamento do gol qualificado como visitante. O ganhador do duelo pegará na próxima fase Palmeiras ou Colo Colo. No Brasileiro, a Raposa pegará o Santos no domingo, às 19h, no Mineirão, pela 26ª rodada.

Palmeiras supera Colo-Colo no Chile e fica perto da semifinal da Libertadores

Jogar fora de casa parece ser um prazer para o Palmeiras nesta Copa Libertadores. A equipe conseguiu nesta quinta-feira, em Santiago, uma nova façanha como visitante ao bater o Colo-Colo por 2 a 0 no confronto de ida das quartas de final e agora terá o luxo de poder perder por um gol de diferença no seu estádio, em 3 de outubro, para voltar a ficar entre os quatro melhores da América do Sul depois de 17 anos.

O Palmeiras é um fenômeno como visitante no torneio. Foram cinco jogos e cinco vitórias, todas no mínimo por dois gols de diferença. No Chile, o time mesclou várias qualidades de quem sabe atuar fora dos seus domínios. Soube sofrer ao ser pressionado pelo Colo-Colo, foi letal nos contra-ataques e cometeu poucas falhas. O ex-palmeirense Valdivia pouco incomodou.

O melhor visitante da Libertadores não deu tempo para os chilenos sequer analisarem o jogo. Com dois minutos de partida a bola já estava na rede. O Palmeiras estava bem posicionado em campo, chegou à área com facilidade e trocou passes até Bruno Henrique fazer 1 a 0.

A desvantagem obrigou o Colo-Colo a avançar. Pelo lado esquerdo da defesa palmeirense, o time chegava com mais perigo, principalmente quando Valdivia organizava o jogo. O camisa 10 era vigiado, demonstrava motivação em enfrentar o ex-clube e ao ser parado algumas vezes com falta, arrancou um cartão amarelo, dado a Bruno Henrique, no primeiro tempo.

O gol prematuro deixou o Palmeiras cômodo. O resultado estava bom, mas poderia melhorar se o time arriscasse mais. Havia espaço para contra-ataques e a equipe teve três boas chances. Não aproveitou. O Colo-Colo estava mais disposto para atacar e quase conseguiu o empate em jogada de bola parada pouco antes do intervalo.

A postura de esperar o adversário continuou no segundo tempo. O problema foi ver o Colo-Colo pressionar e chegar a ter um possível pênalti analisado através do árbitro de vídeo (VAR) por toque de mão na área. Um susto grande para uma equipe que poderia estar mais tranquila se tivesse opções para sair ao ataque.

O Palmeiras quase levou um gol de Barrios, em chance de cabeça, e buscou reforçar a defesa quando fez as alterações. Um atacante deu lugar a um meia e um zagueiro substituiu um volante. O time atraiu mais o Colo-Colo para seu campo, porém continuava à espera do momento certo para definir o jogo.

E ele chegou aos 32 minutos, em contra-ataque puxado por Willian, que chutou ao gol e, no rebote, Dudu completou. Foi o golpe decisivo para o Colo-Colo diminuir a pressão e ainda ter Pérez expulso nos instantes finais.

Assim, o Palmeiras construiu uma grande vantagem com a certeza de que se for forte como mandante, será ainda mais candidato ao título. Nesta Libertadores, os dois únicos tropeços (empate e derrota) foram no Allianz Parque.

Agora, o Palmeiras volta as suas atenções para o Brasileirão, pois no domingo vai visitar o Sport, na Ilha do Retiro, pela 26ª rodada.

COMENTE

Por favor digite o seu comentário
Por favor informe o seu nome

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.