Tomou Vacina da Janssen? Confira as reações e eficácia

0
266

A cidade de Andradas-Mg da continuidade na campanha de vacinação, esta semana parte da população foi vacinada e a maioria recebeu a vacina da Janssen, mas afinal que reações ela provoca e qual a eficácia? O Studio46 traz para você detalhes desta vacina. Popularmente conhecida como a vacina Janssen (da norte-americana Johnson & Johnson), se dá pela sua aplicação favorável em cenários como a pandemia: a imunização ocorre com apenas uma dose e pode ser armazenada em temperaturas de fácil transporte (2 a 8ºC).

“Desde o começo da pandemia, estamos comprometidos em facilitar o acesso igualitário global à nossa vacina contra a COVID-19 e temos trabalhado em estreita colaboração com o governo brasileiro para assegurar que a imunização. A Janssen se orgulha de ter dado um importante passo para contribuir para que os brasileiros tenham acesso à sua vacina de dose única”, afirma Roy Benchimol, Presidente da Janssen Brasil, em comunicado no site da empresa americana.

Assim como a vacina da Astrazeneca, a Janssen utiliza um adenovírus humano (tipo de vírus que causa o resfriado comum) não replicante para combater a Covid-19. Para a produção da vacina, é colocado um pedaço da proteína “S” do Sars-CoV-2 dentro do adenovírus. Quando recebe a vacina, o sistema detecta essa proteína e passa a criar maneiras de combater esse invasor.

Efeitos colaterais

Vermelhidão no local da aplicação, inchaço, dor de cabeça, sensação de muito cansaço, dores musculares, náuseas e febre. Segundo a fabricante, assim como outras vacinas, a vacina da Janssen pode causar uma reação alérgica grave. Essa reação geralmente ocorre dentro de alguns minutos a uma hora após a administração da dose. O risco é baixo.

Eficácia segundo o site PEB MED da vacina da Janssen

No geral a eficácia é de 66% com apenas uma dose. Os resultados de eficácia encontrados foram:

  • Para proteção contra doença moderada a grave/crítica, a eficácia foi de 66,9% (IC 95% = 59 – 73,4%) no mínimo 14 dias depois da administração da dose e de 66,1% (IC 95% = 55 – 74,8%) no mínimo 28 dias após a dose.
  • Para doença grave/crítica, a eficácia foi de 76,7% (IC 95% = 54,6 – 89,1%) após 14 dias e de 85,4% (IC 95% = 54,2 – 96,9%) após 28 dias. Em uma análise post hoc(não planejada no desenho original do estudo), a eficácia foi de 92,4% após 42 dias.
  • A eficácia contra necessidade de intervenção médica variou de 75% a 100%.
  • Para hospitalização, a eficácia foi de 93,1% (IC 95% = 72,7 – 99,2%) após 14 dias e de 100% (IC 95% = 74,3 – 100%) após 28 dias.
  • Não foram reportadas mortes relacionadas a Covid-19 no grupo vacinado, enquanto houve cinco mortes pela doença no grupo placebo.

Os dados sugerem uma proteção precoce, com queda no número de casos no grupo vacinado já com 14 dias após a imunização.

Confira na matéria a baixo a eficácia de cada vacina

Veja a eficácia das vacinas aplicadas (Pfizer, Astrazeneca, Janssen, Coronavac)

Fonte: PEDMED, Secretaria de Saúde MG, Janssen, NDmais, e Prefeitura de Andradas

COMENTE

Por favor digite o seu comentário
Por favor informe o seu nome

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.