Dia do Consumidor: Veja as cinco principais queixas dos clientes no Brasil

0
643
Dia do Consumidor: Veja as principais queixas dos clientes no Brasil
Dia do Consumidor: Veja as principais queixas dos clientes no Brasil

Dia do Consumidor: Veja as principais queixas dos clientes no Brasil

Dia Mundial do Consumidor, comemorado neste 15 de março, ainda está longe de ser apenas motivo de festa e compras. Uma série de conflitos entre consumidores e fornecedores de produtos e serviços ainda cerca esta relação.

Pode-se ter uma ideia da variedade dos problemas pelo ranking anual de atendimento do Instituto de Defesa do Consumidor (Idec), divulgado nesta semana. No topo do levantamento em 2017, pelo sexto ano consecutivo, ficaram os questionamentos relacionados a planos de saúde, com 23,4% dos registros, seguido por produtos (que inclui bens de consumo), com 17,8%, serviços financeiros (16,7%) e telecomunicações (15,8%). No caso do líder das queixas, a maior parte das reclamações trata de aumentos da mensalidade dos planos de saúde considerados abusivos pelos clientes.

 — Também há muitas reclamações quanto a negativas de cobertura e problemas com a ausência de informações adequadas sobre os planos —explica Igor Marchetti, advogado e analista de relacionamento com o associado do Idec.

Com exceção de produtos, todos os outros segmentos apontados no ranking do Idec são regulados por órgão federais, o que indica que ainda há caminhos importantes para serem percorridos para a proteção do consumidor, avalia o Idec.

— Os resultados demonstram, por exemplo, que a atuação de agências reguladoras, que são órgãos governamentais com papel de fiscalização e regulamentação, ainda é ineficiente para proteger de abusos praticados no fornecimento de bens e serviços — afirma Elici Bueno, coordenadora executiva do Instituto.

Apesar de eventuais percalços, o especialista em Direito do Consumidor Fabio Korenblum, sócio da Siqueira Castro Advogados, avalia que a relação entre consumidores e fornecedores tem sido cada vez mais madura. Ele afirma que as empresas se preocupam em resolver amigavelmente reclamações dos clientes, até por que há interesse em reter este consumidor, o qual Korenblum avalia estar cada vez mais ciente de seus direitos.

— O problema é que no Brasil muitas ações que poderiam ser resolvidas administrativamente junto às empresas vão parar na Justiça. Melhorar a relação de consumo é um ciclo: as empresas respeitarem os clientes, mas estes também buscarem diálogo com os fornecedores de produtos e serviços — afirma.

Os setores com maior número de reclamações

Planos de Saúde – 23,4%, destaque para reajustes exagerados nos planos
Produtos diversos – 17,8%, destaque para defeitos de funcionamento
Serviços Financeiros – 16,7%, destaque para juros e tarifas do cartão de crédito
Telecomunicações – 15,8%, destaque para queixas sobre qualidade de telefonia móvel
Água, Energia e Gás – 7,2%, destaque envolvendo tarifas e cobranças indevidas
Outros – 19,1%
Fonte: Idec

COMENTE

Por favor digite o seu comentário
Por favor informe o seu nome

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.