O caso de horror vivido por Edinho e Marcinha em Andradas-MG

0
747

Tente não chorar ou se emocionar com a História de Terror ou amor que vou narrar. Na realidade é uma história de amor, que só uma mãe, uma leoa suportaria tudo o que aconteceu. Essa é uma história real da chegada da filha primogênita do casal Marcinha e Edinho. Após 8 anos de casados, resolvemos que estava mais que na hora de arrumar um bebê, fizemos plano de saúde, exames e pudemos até programar quando seria a chegada de nossa filha, dia 23 de Maio, o dia do nosso casamento.

Foi uma gravidez cem por cento tranquila, o tempo foi passando descobrimos que seria uma menina e escolhemos que o nome seria Lavínia (que significa PURIFICADA), montamos seu enxoval e arrumamos seu quarto, escolhemos quem seria a equipe médica que iria recepcionar a sua chegada… Todos os exames iam bem até que no dia 21 de maio começa o nosso drama…

Final de gestação, quem é mãe sabe bem como é o que vou dizer… minha esposa se levantava de meia em meia hora para ir no banheiro fazer xixi, já nem acendia mais as luzes, ia no escuro mesmo… mas nessa noite foi diferente… Ao começar a caminhar até o banheiro percebeu que estava toda molhada e no caminho entre o quarto e o banheiro ela me chama e diz: – Edinho – levante-se acho que estourou a minha bolsa, a Lavínia não quis esperar até o dia do nosso casamento, ela resolveu adiantar um pouquinho.

Ao acender as luzes do quarto e ir em direção da minha amada esposa, minha casa parecia um matadouro, tinha sangue para tudo que é lado, era coágulos de sangue, só não desmaiei pois precisava ver o que estava acontecendo… ela estava com Descolamento de Placenta… Ao chegar no banheiro minha esposa me disse: – Acho que estamos perdendo nossa bebê! Eu sabia da gravidade que estava acontecendo, mas com a intenção de acalma-la disse: – Calma amor deve ser a bolsa que estourou e como não sabemos de que cor que é o líquido estamos um pouco assustados…

Vá tomar um banho que vou ligar para a Doutora Veranize… Deixei minha esposa no banheiro e fui nos fundos da minha casa pra ela não ouvir eu falar com a médica… Liguei e disse: – Veranize, pelo amor de Deus, estamos perdendo minha bebê, a Marcinha está tendo uma hemorragia gigantesca, nos socorra…

Ao chegarmos no hospital a médica já estava lá a nossa espera, minha esposa foi colocada em uma ante-sala, próxima da sala da maternidade aos cuidados das enfermeiras, fazendo a esculta do coraçãozinho do bebê: Tum-Tum-Tum-Tum (ouvia-se o coração)… enquanto a médica ficava ligando para juntar a equipe médica, podíamos ouvir: Dr. Fábio parto de emergência…

Dr. Joaquim parto de emergência… Dr. Ricardo parto de emergência… O tempo ia passando e ninguém chegava e o desespero só aumentava… As enfermeiras que estavam com minha esposa fazendo a escuta no coraçãozinho do bebê, de repente para de ouvir os batimentos… foi um momento de pânico… A obstetra sozinha pede para as enfermeiras coloque ela na maca e leva-la imediatamente para a sala de maternidade, vamos tirar esse bebê… Neste momento chega ao hospital o anestesista… Acho que eles não tinham a real noção da gravidade quando a médica disse que seria um parto de emergência…

 

Ele correu para a maternidade e injetou a anestesia… mas… o desespero era tão grande em estar perdendo minha filha que a obstetra não teve tempo de esperar a anestesia fazer o efeito e já foi cortando minha esposa… Ela gritava como se tivesse matando um porco… para a nossa infelicidade a bebê não estava encaixada e tudo seria ainda mais complicado… a médica quase morrendo de fazer força para tirar a bebê, o restante da equipe que não chegava…

em um momento de desespero a obstetra pede para que o anestesista ir ajuda-la empurrar a bebê… Dr. Fábio, pelo amor de Deus me ajude, vamos perder essa criança… O anestesista desesperado falava: Mas Dra. Vera, eu não posso sair daqui do monitoramento da paciente e sem falar que eu não sei como ajuda-la… foi quando a enfermeira que estava na sala disse: – pode ir Doutor que eu tomo conta aqui para o senhor… Foram os momentos mais tensos de nossas vidas… neste momento chega o pediatra Dr. Joaquim, dando aquela risada que só quem o conhece sabe como é… rsrsrs foi quando eu disse: Corre Dr., estamos perdendo minha filhinha…

No que ele chegou na sala da maternidade pude ouvir o chorinho da minha filha… foi um momento de alívio e desespero, pois até então eu não tinha notícias da minha filha e nem da mina esposa… No que mostraram para a minha esposa que nossa filha estava viva e era perfeitinha minha esposa desmaiou e não viu e ouviu mais nada… Mais tarde já no quarto e em recuperação A Dra. Veranize acompanhada do Dr. Fábio Pio vieram parabenizar minha esposa, pois ela era uma LEOA… que tinha sido cortada sem nenhum efeito anestésico, que estava viva pois queria muito ser mãe… Hoje somos devotos de Santa Rita, pois tenho certeza que por sua interseção estou podendo contar nossa história de HORROR, que na realidade é uma HISTÓRIA DE AMOR…

 

Autor: Edinho

A seguir link da História narrada por Elias Batista e Josi Moreira

Jornal da Manhã 27 de Agosto.

Publicado por STUDiO 46 em Terça-feira, 27 de agosto de 2019

COMENTE

Por favor digite o seu comentário
Por favor informe o seu nome

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.