Rio Branco de Andradas, 70 anos de história

0
518
Rio Branco
Rio Branco

Rio Branco de Andradas, 70 anos de história

Há setenta anos se iniciava a trajetória de um dos times de futebol mais amados de Minas Gerais, Rio Branco Futebol Clube. E a escrita não poderia ter início melhor, vitória por 4×2 contra equipe da Gramínea.

De 1948 a 1985, o Rio Branco dedicou a diversas competições amadoras na cidade e na região. A era profissional chegou no final de 1985, e já em 1986 inicia a trajetória no futebol profissional da segunda divisão de Minas Gerais, onde chega a vice-campeão e garante vaga na elite do futebol mineiro, e consagra a cidade de Andradas, como a menor cidade do estado com um time na primeira divisão do futebol mineiro.

Tri campeão do interior, com conquistas em 1990, 1992 e 2009. Tri campeão do módulo 2, conquistados em 1994, 1998 e 2006.

Setenta anos se passaram, mas história jamais passará. Viva o Rio Branco.

Conheça mais:

 

No limiar de 1948, incentivados pelos desportistas Pedro Delavia e Sebastião Teodoro Rosa e liderados pelos companheiros Sinésio Teodoro e Venício Almeida,atletas integrantes da equipe juvenil do Esporte Clube Andradense –– extinto em meados da década de 1950 ––, descontentes com o fato de somente treinar, além de agastados com a proibição de acesso à sede social do clube, declaram dissidência e, com a adesão, na primeira hora, de somente um titular, Luiz de Almeida Lino, formam uma nova equipe, à qual, por sugestão de Venício, que se inspira no logradouro em que situada sua residência –– Praça Barão do Rio Branco ––, dão o nome de Rio Branco FC.

PRIMEIRO UNIFORME

Cotizando-se, os entusiasmados atletas compram, no estabelecimento comercial de Antônio Dechichi, a preço módico, um jogo de camisas, brancas, com uma faixa transversal, azul-escuro.

(Ao fornecer aos atletas o fardamento inaugural do quadro futebolístico que mais em frente se transforma no glorioso Azulão da Mantiqueira, no Maisquerido do sul de Minas Gerais, o lojista Dechichi os presenteia com um apito e se oferece para arbitrar a primeira partida que a novel equipe realizasse.)

PRIMEIRO JOGO

Em 13 de junho de 1948, no campo de futebol da Vila Caldas (atual estádio Parque do Azulão), com arbitragem de Antônio Dechichi e tendo como treinador Pedro Delavia, realiza o Rio Branco FC o seu primeiro jogo, que vence, contra a equipe do distrito rural de Gramínea, por 4 x 2.

SEGUNDO UNIFORME

Algum tempo depois, o time é presenteado pelo lojista Cristo Nohra com um novo jogo de camisas, azul-escuras, com faixa transversal, branca.

(Aí a consolidação, para sempre, do azul e do branco como as cores oficiais do Rio Branco.)

PRIMEIRO EVENTO NÃO-FUTEBOLÍSTICO

Apesar de nem sequer juridicamente constituída e mesmo sem formal direção, os atletas e colaboradores do Rio Branco, com a finalidade de arrecadar fundos para cobertura das despesas com o futebol, resolvem, por ocasião do Carnaval de 1949, promover bailes momescos, no antigo Cine Andradas, que alugam, logrando alcançar imenso sucesso, visto que a conquista de torcedores, em poucos meses de existência, é muito expressiva.

(Daí o sonho de uma sede social própria, que muito brevemente se concretiza.)

ORGANIZAÇÃO JURÍDICA E PRIMEIRA DIRETORIA

Por volta de março de 1949, é elaborada ata, pro forma, com a data do primeiro jogo, 13 de junho de 1948 –– que é considerada a de fundação ––, para a constituição jurídica do Clube e posse da primeira Diretoria, integrada por honradas personalidades da época .

SEDE SOCIAL

Em 12 de fevereiro de 1950, em pequeno prédio alugado dos irmãos Goca e Nem Risso, que reservam para si o direito de explorar os serviços de bar, inaugura-se a sede social do Clube.  Em 10 de agosto de 1955, os irmãos Risso vendem o prédio a Antônio Trevisan Sobrinho, o que provoca a paralisação de todas as atividades sociais do Rio Branco. Em 25 de dezembro de 1955, para poder reabrir sua sede, o Clube compra o imóvel, ampliando-o, através dos tempos, mediante aquisições de áreas vizinhas.

TRAJETÓRIA FUTEBOLÍSTICA

FUTEBOL AMADOR E CATEGORIAS DE BASE

Entre 1948 e 1985, o Rio Branco se dedica ao futebol amador, em todas as categorias e faixas etárias. A partir de 1986, apenas às categorias de base.

Em 1991, participa da Taça BH de Juniores e, em 2000, da Taça SP de Juniores.

FUTEBOL PROFISSIONAL

Campeonatos Mineiros

No final de 1985, profissionaliza-se e, em 1986, participa do Campeonato Mineiro da Segunda Divisão; sagra-se vice-campeão e obtém vaga para, em 1987, iniciar sua luminosa caminhada na Primeira Divisão do futebol de Minas Gerais, na qual se mantém até os dias atuais.

Em 1990, o Campeonato Mineiro da Primeira Divisão, com dezoito equipes, é disputado em dois turnos e por pontos corridos. Após campanha memorável, o Rio Branco fica atrás apenas das três equipes de Belo Horizonte e conquista o título oficial de campeão do interior.

Em 1992, repete o feito, ao qualificar-se para a disputa do quadrangular final, ao lado de América, Atlético e Cruzeiro.

No segundo semestre de 1993, com esteio na classificação do Campeonato Mineiro de 1992, terça armas com a Federação Mineira de Futebol e defende o direito de disputar o Campeonato Brasileiro da Série C, em lugar do torneio seletivo para formação, no ano seguinte, dos Módulos I e II do Campeonato Mineiro. Sai vencido e é rebaixado, administrativamente, para o Módulo II.

Em 1994, disputa o Campeonato Mineiro da Primeira Divisão, Módulo II, cujo título conquista e ascende ao Módulo I.

Em 1997, fecha o departamento de futebol e deixa de participar do Campeonato Mineiro do Módulo I.

Em 1998, retoma as atividades futebolísticas, disputa o Campeonato do Módulo II, torna-se bicampeão e volta ao grupo principal.

Em 2004, realiza má campanha no Módulo I e, pela primeira e única vez, conhece o descenso em campo.

Em 2006, conquista o tricampeonato do Módulo II e retorna à elite do futebol de Minas Gerais.

Em 2009, classifica-se para as oitavas-de-final do Campeonato Mineiro da Primeira Divisão, Módulo I. No mata-mata, elimina o América, de Belo Horizonte, e alcança as semifinais, juntamente com Atlético, Cruzeiro e Ituiutaba. Também no mata-mata, é eliminado pelo Atlético, mas conquista, pela terceira vez, o título de campeão do interior, sobrepujando o time do Triângulo Mineiro no saldo de gols.

Campeonatos Brasileiros

Em 1989, 1990, 1992, 1998 e 2003, o Rio Branco disputa o Campeonato Brasileiro da série C; e, em 1991, o Campeonato Brasileiro da série B.

Exibições no exterior

Entre julho e agosto de 1994, o Rio Branco, durante vinte e três dias, realiza vitoriosa excursão pela Espanha, enfrentando prestigiosas equipes das três divisões locais: Atlético de Madrid B, Marbella, Gimnastic Tarragona, Rayo Vallecano, Linares e outras.

APELIDOS  

O apelido “O Maisquerido” –– que é também empregado como “O Maisquerido do sul de Minas” –– aparece em 1949. Azulão da Mantiqueira (ou somente Azulão) surge em 1986, com a profissionalização do time de futebol e decorre da associação do azul-escuro da camisa principal com o topônimo Mantiqueira (Andradas se situa aos pés dessa formosa serra).

MASCOTE

O Clube tem como mascote o pássaro Azulão, podendo a sua figuração ser estilizada, inclusive antropomorficamente.

PADROEIRO

Santo Antônio é o padroeiro do Clube, como registrado em ata datada de 13 de junho de 1949.

PATRONO

O Barão do Rio Branco, título nobiliárquico de José Maria da Silva Paranhos Júnior, ás da diplomacia nacional, é o patrono do Clube, conforme consignado na ata acima referida.

Primeira equipe profissional do Rio Branco AFC
23 de fevereiro de 1986
Minas de Boa Esperança 0 X 1 Rio Branco

Em pé: Newton Prado (técnico), Nandinho, Silvinho, Édson Augusto, Zil, Magela, Édson Tomé e Fafi (massagista)

Embaixo: Toinho, Melete, Amarildo (autor do primeiro gol profissional do Azulão), Edmilson e Cidinho.

Hino Oficial do Clube:

  

COMENTE

Por favor digite o seu comentário
Por favor informe o seu nome

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.