Turismo da vacina esquenta viagens para os Estados Unidos

0
126

Turistas poderão se vacinar contra o coronavírus em Nova Yourq, o anuncio foi feito no dia 11 de maio pelo prefeito Bill de Blasio, trata-se do chamado turismo de vacina. Pesa a favor o fato de que Nova York pretende disponibilizar vacinas da Janssen-Johnson, de dose única, o que diminui o tempo da viagem. Outro chamariz é o excedente de imunizantes, o que fez muitos estados americanos suavizarem a exigência de ter que apresentar um comprovante de residência para receber a picada. Sem perspectiva clara de quando poderão receber a vacina por aqui, brasileiros dispostos a gastar um bom dinheiro para serem vacinados estão fazendo as malas.

Não fica barato o turismo de vacina

Passar tanto tempo no exterior representa um custo alto, principalmente com o real tão desvalorizado diante da moeda americana. Só as passagens aéreas para voos em julho entre Guarulhos – Cidade do México – Miami – Guarulhos não saem por menos de R$ 4.400. Uma operadora de turismo a BWT, o pacote “Quarentena em Cancún + Orlando” custa a partir de US$ 3.967 por pessoa (cerca de R$ 20.500) com passagens aéreas de ida e volta, 15 noites em um resort all-inclusive no Caribe, 5 noites dentro do complexo de parques de diversões da Universal e seguro de viagem com cobertura para Covid-19. Depois ainda é preciso colocar na conta os gastos com refeições, exames RT-PCR e possíveis passeios.

Outros países com Turismo de vacina

O turismo de vacina não se resume aos Estados Unidos. Na Rússia, qualquer pessoa pode receber uma dose gratuita da Sputnik V, desde que apresente um documento de identificação, como o passaporte no caso dos estrangeiros. O mesmo imunizante está sendo oferecido por San Marino, um enclave dentro da Itália, só que por € 15 e mediante apresentação de comprovante de reserva em um hotel da região. O Diretor Metropolitano de Saúde do Panamá, Israel Cedeño, também já insinuou que estrangeiros que estão fazendo turismo no país podem ser vacinados com as doses à disposição, que são da PfizerBioNTech e da AstraZenecaUniversidade de Oxford. Já as Ilhas Maldivas têm planos de começar a fazer isso em breve para impulsionar a sua economia fortemente dependente do turismo. Apesar de já ter sido batizado de “visit, vaccinate and vacation”, o programa ainda não possui nenhuma data de início porque a prioridade é garantir a primeira e a segunda dose para todos os residentes do arquipélago.

 

Quando serei vacinado? 

 

Quando vou ser vacinado?

COMENTE

Por favor digite o seu comentário
Por favor informe o seu nome

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.